O que 13 Reasons Why significou para mim

13-reasons-why-poster-personagens-netflix-800x445

Quando você encontra algum conhecido, ou amigo na rua, eles sempre te perguntam se você está bem, mas será que realmente se importam com a resposta que lhe será dada? Acredito que não, já que quando você está respondendo, o mesmo está saindo do seu caminho e seguindo com sua vida, indo embora do seu campo de visão.

A pergunta “Como você está? ” Se transformou em algo tão do cotidiano, onde ninguém mais se importa ou se preocupa. Como que essa pergunta se transformou nisso? Ou será que sempre foi como o Olá, só que nunca nos dermos conta?

Quando que os sentimentos das pessoas param de fazer efeito em sua vida, ou na vida de todos. Como que uma pergunta para saber se o outro está bem, pode ser tão insignificante assim, como pudemos decair tanto para chegarmos nesse nível? Será que alguém se importa se eu ou você realmente está bem. E você? Se importa de saber?

Adquiri esse pensamento quando estava fazendo a transferência de ensino médio para universidade, sempre que me encontrava com algum conhecido, “amigo”, ou familiar essa perguntava sempre aparecia durante a conversa. Com o tempo, percebi que eles realmente não dão a mínima.

Nas últimas semanas, a Netflix disponibilizou uma nova série de drama no seu catálogo/site. A série 13 Reasons Why (Os 13 porquês), onde mostra uma adolescente do ensino médio que vendo sua vida afundar aos poucos, no final não vê outra saída a não ser o suicídio. Porém, como uma forma de “vingança”, contra aqueles que a trataram muito mal, decide criar 13 fitas cassetes, explicando os motivos e mencionando as pessoas onde ela acreditava que fossem os culpados por sua vida afundar.

No início, a série aparenta ser bem bacana e leve de levar, porém com o passar dos episódios só vai ficando mais e mais tenso, já que nesses episódios é visto que determinadas pessoas da escola começaram a praticar bullying e até criar boatos sobre a protagonista, em torno de um ano e alguns meses, ela se esgota e acaba por desistir da própria vida.

Porque essa série mexeu tanto comigo e por conta disso decidi escrever esse texto? Pois bem, durante a época da escola também sofri bullying, me xingavam, me excluíam e falavam coisas horríveis. Não vou mentir, aquilo era horroroso, dava vontade de sumir e nunca mais voltar. Claro, que o que eu sofri, não chega nem aos pés do que a protagonista sofre e passa.

A cada episódio, era mostrado que o bullying, de certa maneira, só piorava. E na maioria das cenas, à protagonista sofria e chorava, por conta de tanta dor e de certa forma, solidão. Eu me via ali, anos atrás. Toda a dor que ela sentia, de certa forma eu também sentia. Já que com elas, alguns sentimentos e memórias do passado, resolveram retornar. Pois um detalhe que ninguém percebe é que essas “brincadeiras” nem todos estão felizes e gostando delas..

C5enWTdU0AAdDLV.jpg largeApesar da série mostrar o ponto de vista da protagonista e o quão ela sofre, também é mostrado a vida dos outros estudantes, todos aqueles que cometeram o bullying, ou criaram os boatos. É mostrado que em muito casos, essas pessoas não são todos poderosos, que não possuem medo de nada ou não possuem nenhum tipo de problema, ao contrário, são pessoas que possuem uma vida conturbada com suas famílias.

Para finalizar, não posso deixar de mencionar 
sobre a cena em que ela comete suicídio, foi tão chocante que não há pessoa que esteja assistindo que consiga controlar o choro, se emocionar ou até mesmo ficar abalado. Já que mostra a protagonista chegando ao seu limite e decidindo por um ponto final em todo sofrimento. Ver a cena dela morrendo enquanto chorava e o pior, ela estando completamente sozinha. É completamente perturbadora, não é para qualquer um mesmo. Tenho que deixar aqui meus sinceros parabéns para a atriz Katherine Langford, que conseguiu impressionar com tão maravilhosa atuação e passar para a câmera tudo que sua personagem estava sentindo.